sexta-feira, 9 de março de 2018

Rodas de Conversa: "Activistas pro-palestinianas"

Rodas de Conversa - Mulheres ativistas: percursos e desafios






Evento no Facebook


A primeira sessão das Rodas de Conversa, será dedicada às "Ativistas pro-palestinianas" e terá lugar no próximo dia 9 de março às 21h30 no Juno Café, em Braga. A sessão resulta da parceria entre o Seminário Permanente de Comunicação e Diversidade do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade da Universidade do Minho, o núcleo de Braga da UMAR - União de Mulheres Alternativa e Resposta, a Civitas Braga - Associação de Defesa e Promoção dos Direitos Humanos e o Grupo Acção Palestina.

Apresentação da sessão:
O papel principal das ativistas pro-palestinianas internacionais é o de, por um lado, transmitir solidariedade para o interior do território ocupado, e por outro ser a sua voz no exterior, tendo sempre em conta que a liberdade e a paz terão que ser conquistadas pelos próprios palestinianos.
Demonstrar interesse, compreensão e solidariedade é o que têm feito os vários movimentos de ativistas envolvidos com esta causa, organizando marchas, manifestações, vigílias e até viagens ao território palestiniano. Sabe-se que estas acções têm tido alguns resultados: para os palestinianos significam muito porque se sentem apoiados e para os israelitas são um incómodo, como o comprovam as várias proibições de entrada de ativistas em Israel e na Palestina.
Nesta roda de conversa, que junta experiências diversas de ativistas, procurar-se-á abordar estes percursos e lançar novos desafios que procurem criar condições para um possível diálogo/comunicação entre os dois estados.

Ativistas convidadas:

Sandra Barrilaro é fotografa e editora. É co-autora do livro Contra el olvido. Una memoria fotográfica de Palestina antes de la Nakba, 1889-1948. Fruto das suas muitas viagens à Palestina realizou a reportagem fotográfica Palestina, una mirada a la injusticia que já esteve em exposição em várias cidades de Espanha. Foi uma das treze mulheres a bordo do barco de mulheres Zeitona-Oliva que navegou em direcção a Gaza, por iniciativa da Flotilla de la Liberad. Em 2016 recebeu o prémio “Jerusalém”, das mãos da Associação da Comunidade Hispano Palestina “Jerusalém”, pelo seu activismo em defesa dos Direitos Humanos do povo palestino.

Ana da Palma é uma viajante minuciosa, entusiasta e dedicada das línguas e das literaturas, nómada poeta e ensaísta da escrita e do mundo e agricultora autodidacta preguiçosa. Viveu em Paris, San Francisco (EUA) e Imaginário. Viajou pela Europa, Magrebe e residiu vários anos nos EUA, América Central e América do Sul. Passou uma vida de 16 dias no inferno sionista da Palestina. Investigadora de uma insaciável curiosidade. Mãe e professora, tutora, formadora e tradutora precária. Pertence a vários colectivos do Porto: ex-CASA VIVA, GAP (Grupo Acção Palestina), GERA (Grupo Erva Rebelde Anarquista), SAPATO 43 e participa noutros colectivos ou na organização de encontros pontuais.

Carolina Moreira é ativista feminista a partir do núcleo da UMAR Coimbra, integra também a Assembleia Feminista de Coimbra e a Marcha Mundial das Mulheres. Pós-graduada em Direitos Humanos, formou-se em Estudos Europeus com a dissertação de Mestrado intitulada A disciplina do Homem Guerreiro e os desafios feministas: perspetivas teóricas feministas em Relações Internacionais e o ativismo antimilitarista e feminista nos Balcãs.

Dinamizadoras:

Helena Ferreira é doutoranda do programa doutoral em Estudos Culturais em parceria entre a Universidade de Aveiro e a Universidade do Minho. É membro da equipa do Centro de Línguas, Literaturas e Culturas da Universidade de Aveiro. As suas principais áreas de interesse científico incluem: Género e Sexualidades, Estudos dos Media e Direitos Humanos. Publicações recentes relacionam-se com as seguintes temáticas: semiótica, estudos dos media, teoria queer, questões de género e direitos humanos.

Carla Cerqueira é investigadora do CECS - Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade da Universidade do Minho, bolseira de pós-doutoramento da FCT em Ciências da Comunicação e docente da Universidade Lusófona do Porto. A sua investigação centra-se no campo dos estudos feministas dos média. Integra organizações da área dos direitos humanos, igualdade de género e feminismos, como a APEM - Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres, a UMAR Braga e a Civitas Braga, da qual é presidente da direção.

Entrada gratuita.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!